Dia Nacional da Síndrome de Down: oportunidade para gerar visibilidade às pessoas com a condição



O CENSA Betim, que é referência nacional nos cuidados a pessoas com deficiência intelectual, tem indivíduos com Síndrome de Down entre seus educandos


A partir deste ano, 21 de março fica marcado como o Dia Nacional da Síndrome de Down, graças a Lei 14.306/21. Com isso, os órgãos públicos responsáveis pelas políticas voltadas a pessoas com Síndrome de Down terão que realizar eventos que valorizem esses indivíduos na sociedade, o que para Natália Costa, psicóloga e diretora do CENSA Betim, instituição que é referência nacional nos cuidados à indivíduos com a condição, é um passo importante para a inclusão.

De acordo com a diretora do CENSA Betim, a intervenção precoce com equipe transdisciplinar é essencial para o desenvolvimento e melhor qualidade de vida das pessoas com Síndrome de Down. “Os indivíduos com essa condição têm alterações físicas evidentes, como olhos puxados, pescoço alado e língua protusa em virtude da alteração genética do para de cromossomos 21. Porém, o grande desafio é desenvolver um esquema de intervenção que seja efetivo para que a pessoa com Síndrome de Down possa adquirir independência nas atividades diárias e consequentemente ocupar o seu espaço na sociedade”. A intervenção deve começar nos primeiros dias de vida e geralmente se estende até a vida adulta,” comenta.

Para Natália Costa, o Dia Nacional da Síndrome de Down é uma oportunidade para mostrar que o indivíduo com a condição pode e deve viver e conviver muito bem em sociedade. “Ao trabalhar com esses indivíduos e suas famílias, percebemos o nítido avanço no desenvolvimento e na qualidade de vida. É necessário que todos pensem e lidem com essas pessoas de forma a proporcionar a elas o livre acesso a todos os dispositivos sociais. Com a instituição da data, acreditamos que teremos mais visibilidade, bem como espaços para debater o tema que é de suma importância para a pessoa com Síndrome de Down e suas famílias ", afirma.

Atividades para inclusão A diretora do CENSA Betim adiciona que a instituição aposta no fomento à inclusão por meio de diversas atividades. “Conhecido nacionalmente pela metodologia de trabalho que envolvem profissionais e atividades de diversas áreas, atuamos diretamente em ações que incentivam a inclusão. Procuramos manter os nossos educandos ativos, com as atividades que eles tanto gostam, como o teatro, dança e artesanato que, além de promover a sociabilização, estimula o desenvolvimento físico, mental e cognitivo dos participantes. Nossos colaboradores trabalham incansavelmente para garantir o bem-estar dos nossos educandos, cujo cuidado foi confiado a nós por meio da parceria com famílias de todo o Brasil. Assim, tudo é feito com muita técnica e metodologia científica, mas acima de tudo com o coração, como uma família que somos para que eles se sintam cada vez mais valorizados e estimulados”, conclui Natália Costa.

CENSA O CENSA foi fundado no ano de 1964 pela educadora Ester Assumpção, mulher à frente de seu tempo, que trabalhou com Helena Antipoff no Instituto Pestalozzi. Dona Ester, como era carinhosamente chamada, acolhia em seu próprio lar crianças com deficiência cujas famílias não podiam fixar residência em Belo Horizonte. Assim nasceu a instituição que hoje é referência nacional: de um sonho e um ideal de uma educadora, cujo desejo de cuidar e amparar crianças com deficiência e suas famílias era genuíno e se materializou em quatro instituições por ela fundadas: CENSA, APEX, Instituto Ester Assumpção e Clínica São José. Centro Especializado Nossa Senhora D'Assumpção Endereço: BR-381, 494 - Jardim Petrópolis, Betim – MG Telefone: (31) 3529-3500 E-mail: contato@censabetim.com.br Assessoria de imprensa: Grupo Balo – www.grupobalo.com Heberton Lopes - hlopes@grupobalo.com Felipe de Jesus - imprensa@grupobalo.com Plantão 24 horas exclusivo para demandas de imprensa: 31 9899 7616