Jovem empreendedor que criou dispositivo anti-coronavírus conta a sua história



Muriel Ornela, CEO da Beloar, posa ao lado do seu produto - Foto: Heberton Lopes.


Muriel Ornela, com 30 anos de idade, está à frente da Beloar, empresa que ganhou projeção nacional ao lançar o dispositivo para bebedouros que evita contaminações por microorganismos, como o vírus que causa a Covid-19


Jovem, estudioso, criativo e com muita força de vontade. Essas são algumas das palavras que podem descrever o perfil do administrador de empresas Muriel Ornela, empreendedor mineiro que, com 30 anos de idade, teve seu nome conhecido pelos quatro cantos do Brasil graças a sua invenção inovadora, o ÁguaàLaser, um dispositivo touchless para bebedouros que ganhou a fama de “anti-coronavírus”.

Muriel Ornela estudou e buscou conhecimentos na área de gestão para ajudar a desenvolver o negócio da família que está no mercado há 34 anos. “A empresa começou o com o meu pai revendendo purificadores de água de porta em porta. Pegava uma sacola cheia de filtros e ia de ônibus para o interior de Minas Gerais para oferecer uma água de melhor qualidade para pessoas desconhecidas. Só voltava quando terminava de vender tudo. Ele passou muitas dificuldades e, quando tinha dinheiro, ficava em hotéis e pousadas, mas às vezes dormia de favor em casas de clientes”, conta o jovem empreendedor.

Com o empenho do pai de Muriel Ornela, o negócio foi crescendo e passou a se chamar Beloar. “A empresa começou a ter boas vendas e alguns funcionários foram contratados para montar os purificadores e outros para atender os telefonemas dos clientes. Meu pai passou uma lista telefônica para eles ligarem para pessoas da Região Metropolitana de Belo Horizonte e oferecer os purificadores de água. Depois de algum tempo, começamos a ser procurados por empresários que queriam comprar bebedouros e então começamos a atender também pessoas jurídicas”, relata.

Atento às oportunidades, o empresário iniciou a sua trajetória na empresa do pai ainda na adolescência. “Comecei a trabalhar na Beloar quando tinha 15 anos de idade, ajudando na produção, no conserto de bebedouros, no escritório e nas vendas. Conheci todos os processos, desde o setor operacional até administração geral”, afirma o empresário, que passou a ter uma visão geral do negócio, que estava prosperando e instalou uma fábrica de bebedouros em Contagem, cidade da Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Com a vivência do cotidiano da Beloar, Muriel Ornela decidiu se preparar para profissionalizar a gestão do negócio. “Decidi cursar Administração e me formei em 2013. Ainda durante a graduação, vi que daquele jeito a empresa não sobreviveria. Meu TCC foi inclusive sobre a sobrevivência de pequenas empresas familiares”, conta o empreendedor, que desde então passou a se capacitar com foco em promover a expansão do empreendimento construído pelo pai.

Crise

Muriel Ornela assumiu a gestão da Beloar em 2014, em um momento complicado para o negócio. “Naquele ano, nós tivemos um sucesso de gestão que poucas empresas conseguem, que é obter a certificação do Inmetro nos produtos, processos produtivos e organizacionais da empresa. Nesse período chegamos a ter mais de 30 funcionários fabricando bebedouros. Mas naquele ano em que passei a atuar com CEO, a crise mundial diminuiu a demanda e houve a queda das vendas. Para mantermos a empresa funcionando e lucrativa, precisamos adotar decisões estratégicas muito rápidas e assertivas, terceirizando grande parte do nosso processo produtivo, visto que as grandes indústrias de São Paulo conseguiam fabricar uma quantidade maior do que nós e, consequentemente, o preço deles era bem mais competitivo. Com isso a empresa eliminou um alto custo fixo, aumentou sua lucratividade e conseguiu focar no que é o nosso “core-business”, que são as vendas e desenvolvimento de produtos”, diz o empreendedor.

O início da gestão de Muriel Ornela foi desafiador, pois, além de uma crise mundial, ele percebeu que mudanças drásticas eram essenciais para garantir a continuidade das atividades da Beloar. “Quando assumi a direção, tinha apenas 24 anos e quase nenhuma experiência. A maioria dos funcionários que estava à frente do negócio não continuaram, devido às dificuldades e desafios que vieram, e até mesmo pela profissionalização que alguns não possuíam. Nossa empresa até aquele momento nunca havia tido controles gerenciais. Nem de estoque, nem de custo, nem de fluxo de caixa, nem de lucro, nada. Era como dirigir um carro no escuro e com os faróis apagados. Para evitar uma tragédia, foi necessário conduzir estrategicamente e jogar luz sobre cada problema e resolver um a um”, ilustra.

E justamente para buscar soluções, após se formar em Administração, Muriel Ornela iniciou uma pós-graduação na área de finanças que ampliou ainda mais os seus horizontes e o fez conhecer um profissional que foi decisivo para as mudanças na Beloar. “Conheci um professor durante a minha especialização que parecia entender muito sobre os desafios que eu tinha assumido. Como a empresa estava com essas dificuldades gerenciais e precisava de controles urgentes, sabia que precisaria de alguém para me ajudar, pois não conseguiria resolver os problemas sozinho”, salienta o empresário, que, logo após assumir a gestão do negócio, já começou a implementar processos até então não empregados na organização.

De acordo com Muriel Ornela, a ajuda do professor e de outros consultores especialistas em marketing, vendas, finanças e processos foram essenciais para que a Beloar voltasse a apresentar resultados positivos. “Desde 2014 venho trabalhando com a ajuda de consultores para melhorar a lucratividade do negócio. Além da lucratividade, conseguimos melhorar também a estrutura e organização da empresa. Hoje temos controle de fluxo de caixa, sabemos o que temos para pagar, para receber, o lucro mensal de cada linha de negócio, se e quando vai sobrar dinheiro ou vamos precisar de pegar empréstimo. A empresa está bem melhor estruturada que antes e preparada para assumir novos desafios”, conta.

Sabendo que o desafio de gerir uma empresa é muito grande, o empreendedor Muriel Ornela não parou os estudos na pós-graduação. Como ele sempre teve vontade de lecionar e transmitir o conhecimento para quem precisa, em 2018 ingressou no mestrado em Administração de empresas pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Em sua pesquisa, ele analisou como a certificação do Inmetro impactou o mercado de bebedouros. A sua pesquisa buscou analisar a influência e mudanças no setor de filtros e purificadores de água provocadas pelas exigências das certificações do Inmetro. O trabalho concluiu que as certificações do INMETRO impostas aos fabricantes, por um lado, aumentaram a qualidade dos aparelhos, mas, por outro, aumentaram os custos das indústrias, o que, por sua vez, fez com que apenas os fabricantes que possuíam capacidade de investimento em pessoal qualificado, processos organizacionais e na melhoria dos produtos se mantivessem no mercado. “A pesquisa e as entrevistas que realizei durante os dois anos de mestrado me ajudaram a conhecer profundamente o mercado e estreitar o relacionamento com toda a cadeia produtiva do segmento, possibilitando assim a criação de inovações de forma muito mais fácil e rápida, pois quando precisei, já sabia qual era o especialista ou fabricante que eu precisaria recorrer quando necessitasse de determinada informação, peça ou matéria prima”, diz. Inovação

Com a Beloar já trabalhando com resultados positivos e a gestão cada vez mais eficiente, uma invenção fez os rumos da empresa mudarem para melhor. A criação do ÁguaàLaser fez com quea empresa ficasse conhecida em todo o Brasil devido ao dispositivo touchless para bebedouros se mostrar uma ferramenta eficaz no combate à pandemia de Covid-19. Justamente por isso, ganhou o apelido de “anti-coronavírus”.

Mas a concepção do ÁguaàLaser foi iniciada antes de qualquer brasileiro imaginar que o país e o mundo parassem por causa de um microrganismo. A ideia da invenção veio no encontro de Natal da família de Muriel Ornela, em 2019. “Eu conversava com meu primo, Ederson, especialista em engenharia de hardwares e softwares para máquinas e robôs de grandes indústrias, despretensiosamente, sobre o futuro da Beloar e dos nossos produtos. Mencionei sobre uma solicitação de uma grande indústria do setor frigorífico em que os órgãos governamentais exigiram dela que os bebedouros de água fossem sem contato, visto que ali era um local que precisava do máximo de higiene e poderia ser transmitido doenças das carnes dos animais para os humanos, e vice e versa. Citei que estávamos estudando formas de criar esse produto e ele sugeriu um bebedouro que liberasse a água por aproximação, via sensor de presença”, conta o empresário, que após essa conversa, ambos seguiram suas vidas.

O que ninguém esperava é que em março de 2020 a pandemia de Covid-19 chegaria ao País. “Quando foi divulgado o primeiro caso do novo coronavírus no Brasil, liguei para o meu primo e disse que precisávamos montar uma equipe engenharia de desenvolvimento de produtos para criar esse novo produto, pois, como um dos principais meios de transmissão da doença é por contato, e o bebedouro é coletivo e de uso comum, seria necessário desenvolver um equipamento que não precisaria de encostar a mão para sair água. Desde então iniciamos o desenvolvimento do ÁguaàLaser. No início pensamos em criar o bebedouro completo com sensor, mas achamos que sairia muito caro para o consumidor e não serviria para quem já tinha o equipamento. Assim, achamos melhor criar torneiras com sensor adaptáveis para todos os modelos de bebedouros, e conseguimos”, explica.

Da ideia até a fabricação do ÁguaàLaser, Muriel Ornela e sua equipe desbravaram um longo caminho até se ter invenção pronta. “Foi um trabalho árduo, mas com os especialistas e fornecedores certos conseguimos produzir um dispositivo com um ótimo custo-benefício. Contamos com parceiros das empresas que já eram nossos fornecedores para desenvolverem os insumos que precisávamos para construir um produto compacto, eficiente e seguro. Com muitas videochamadas por conta da pandemia, conversamos com os fabricantes de metais, plásticos, hardware e software. E ainda contratamos um escritório especialista em design e desenvolvimento de novos produtos”, destaca.

Foram desenvolvidos quatro tipos de torneiras com sensor que se adaptam aos principais bebedouros do mercado: bebedouro industrial, bebedouro de pressão, bebedouro acessível e bebedouros de galão. Além disso, a empresa percebeu que poderia criar um adaptador universal para transformar torneiras comuns em torneira de sensor, visto que os produtos semelhantes do mercado são muito caros, de acordo com Muriel Ornela. “O nosso objetivo não é inutilizar equipamentos, mas sim aproveitar os bebedouros e torneiras já existentes, o que gera economia para quem compra e reduz o descarte de resíduos no meio ambiente”, afirma.

Tecnologia nacional

Muriel Ornela explica que o principal obstáculo tecnológico enfrentado pela equipe foi fazer com que o sensor infravermelho funcionasse no sol. “Começamos a conceber o produto com um sensor que já vinha pronto de fábrica, mas foi preciso criar um próprio, com uma tecnologia e código fonte desenvolvida por nós. Todos os sensores infravermelhos comercializados, inclusive de torneiras de grandes fabricantes nacionais e internacionais, como a XIAOMI, não possuem tal tecnologia e ou não funcionam no sol (não sai água quando o produto está exposto ao sol) ou sai água sem cessar (o sensor aciona sozinho e libera água sem necessidade). Todos esses fabricantes que utilizam esse tipo de sensor nas torneiras orientam que o produto não fique exposto ao sol ou próximo de pias inox, mas a maioria dos bebedouros ficam em áreas abertas e possuem a pia inoxidável, por isso não poderia ter essa restrição. Com esse impasse, nossos engenheiros trabalharam muito no laboratório com testes e ensaios e conseguiram chegar em uma variável em que o produto funciona em qualquer ambiente. Podemos dizer que apesar de ser uma empresa nacional e de pequeno porte, conseguimos superar a tecnologia de grandes indústrias nacionais e internacionais”, conta com orgulho.

Reconhecimento

Após superar os obstáculos tecnológicos e disponibilizar ao mercado um produto eficiente, Muriel Ornela viu a sua invenção ganhar as manchetes de veículos de comunicação e começou a conceder entrevistas aos jornalistas que queriam noticiar a criação do dispositivo inovador. “Foi aí que o país passou a conhecer o ÁguaàLaser e começamos a receber pedidos de lugares de diversas partes do Brasil, como, universidades, escolas, supermercados, grandes indústrias nacionais e multinacionais, academias e repartições públicas. Aumentamos a nossa produção e a nossa equipe continua empenhada em desenvolver e melhorar cada vez mais a nova invenção”, relata o empresário, que solicitou a patente da sua criação.

Leque de oportunidades

Por mais que o uso da invenção de Muriel Ornela seja mais percebido em razão da pandemia, há outros benefícios importantes, como a inclusão social. “Além da Covid-19 e prevenção de vírus, o produto atua também na linha do importante assunto e que hoje está em alta, que é a acessibilidade. Com a liberação do fluxo de água por sensor de aproximação, idosos, cadeirantes e pessoas amputadas poderão consumir água com mais facilidade, visto que só será preciso segurar seu copo ou garrafa à frente da torneira de sensor, sem ser necessário apertar nenhum botão, o que gera mais independência por parte do indivíduo”, exemplifica.

Muriel Ornela é otimista com o futuro do dispositivo. “Acredito que a tecnologia de oferecer água sem contato veio para ficar, pois o Covid-19 é um vírus mortal, mas sabemos que muitos outros vírus, bactérias e doenças são transmitidos pelo contato com superfícies contaminadas: gripe, pneumonia, conjuntivite, hepatite A, gastroenterites, rotavírus, bronquiolite, entre outros. E quem possui o hábito de lavar as mãos após encostar no bebedouro para pegar um copo de água? Eu não conheço ninguém. O bebedouro é um objeto característico, que todo mundo usa, todos apertam a mesma tecla, mas quase ninguém o higieniza ou higieniza as mãos após utilizá-lo. A pessoa enche o copo de água ou garrafinha e volta para a sua mesa ou local de trabalho, levando possíveis contaminações para o seu ambiente de trabalho diário”, finaliza o empreendedor. Site da empresa: www.beloar.com.br Loja on-line: https://loja.beloar.com.br/ Assessoria de imprensa: Grupo Balo Heberton Lopes – hlopes@grupobalo.com Felipe de Jesus – imprensa@grupobalo.com Plantão 24 horas exclusivo para jornalistas: (31) 9 8988 7616